Booking.com
fábrica Perugina na Itália
SaborearVer

Perugina e a história de amor que inspirou o bombom Bacio

Domingo, 14 de fevereiro, será Dia dos Namorados na Itália e nessa época os supermercados e cafeterias de todo o país expõem em suas prateleiras caixas com os famosos bombons Baci, produzidos pela Perugina.

Quase todos os casais italianos já trocaram, pelo menos uma vez na vida, o bombom que une ao invólucro do chocolate uma mensagem de amor.

como visitar a fábrica Perugina

Meses atrás, em companhia de amigos, estivemos em Perugia, a capital da região da Úmbria e uma cidade italiana com um centro histórico encantador.

Considerando a breve distância entre Perugia e a sua fábrica mais famosa (cerca de 6km), decidimos conhecer a Perugina, hoje propriedade da multinacional Nestlè.

Perugia, Úmbria, Itália

Durante esse passeio, os visitantes conhecem esse grande polo produtivo e a história de amor que inspirou a criação do Bacio.

Coincidentemente (ou por uma grande sacada de marketing), há poucas semanas a RAI, tv estatal italiana, transmitiu uma minissérie narrando essa mesma história.

Perugia, na Itália

O nome Luisa Spagnoli talvez não soe familiar para a maior parte dos brasileiros, mas aqui na Itália é sinônimo de empreendedorismo feminino.

Além de ter fundado uma das marcas italianas mais cobiçadas pelos concorrentes da indústria alimentícia internacional, Luisa Spagnoli também tornou-se símbolo de excelência no setor da moda feminina.

Perugia

As butiques que levam o seu nome ocupam algumas das ruas mais prestigiosas das principais cidades italianas.

Nascida em uma família humilde, depois de casada Luisa Spagnoli e o marido inauguram uma loja de confetti, as amêndoas confeitadas que os italianos utilizam em ocasiões especiais como casamentos e comunhões.

Perugina, na Itália

Em pouco tempo a fama de excelente confeiteira cresce e por volta de 1907 ela funda a Perugina, junto com o poderoso Francesco Buitoni e Leone Ascoli.

Na época a fábrica tinha apenas 15 empregados e em seus primeiros anos de vida enfrenta várias dificuldades, cúmplices os efeitos da primeira guerra mundial.

fábrica Perugina

A partir da década de 20 a Perugina começa a conquistar espaços cada vez maiores no mercado alimentar e a ser elogiada como exemplo de empreendedorismo e tutela de seus empregados. Foi de Luisa Spagnoli a ideia de criar uma creche no interior da fábrica.

Perugina, Itália

Luisa Spagnoli apaixona-se pelo filho de seu sócio, o jovem Giovanni Buitoni, 14 anos mais novo que ela. Hoje isso não é motivo de escândalo, mas na época isso gerou diversos burburinhos em Perugia.

Nesse período, pensando em uma maneira de reaproveitar os pedacinhos de avelã descartados durante a produção dos chocolates Perugina, Luisa criou um bombom de forma irregular que lembrava um punho.

fábrica do bombom Bacio Perugina

Inicialmente o bombom foi batizado como cazzotto (soco). Foi Giovanni Buitoni que desaprovou o nome e sugeriu à nova criação o nome de Bacio.

A ideia dos bilhetinhos de amor surgiu na década de 30 e foi reforçada pelo diretor artístico da Perugina, Federico Seneca.

Luisa Spagnoli, Perugina

Inspirando-se na imagem do famoso quadro Il bacio, de Francesco Hayez, Seneca teria criado a caixa azul com o casal de apaixonados que ainda hoje caracteriza os bombons da Perugina.

O bombom entrou para a história e Luisa Spagnoli também fundou a marca homônima de peças de roupas a base de lã de coelho.

Bacio Perugina

Os animais eram penteados e o pelo que caia espontaneamente era utilizado na confecção de boleros e casacos.

Luisa Spagnoli morre em 1935, quando Giovanni ainda era jovem.

fábrica da Perugina na Itália

Sugiro que você una a visita à fábrica com um passeio pela cidade de Perugia.

Para organizar a sua visita à Perugina:

Quando: As visitas à fábrica da Perugina acontecem de segunda à sexta-feira das 9h às 13 e das 14h às 17.30. Aos sábados, das 10h às 16h, exceto nos meses de janeiro, fevereiro, junho e setembro.
Quanto dura: A visita  dura cerca de 1h15. Durante o percurso os visitantes assistem um vídeo, conhecem o museu histórico da Perugina e caminham sobre uma passarela da qual observam a fabricação dos principais produtos da fábrica. Por óbvios motivos, não é possível fotografar o seu interior, mas somente os ambientes externos. Em seguida, existe uma degustação de chocolates e os clientes podem comprar os produtos da fábrica.
 Quanto custa: os ingressos custam 9 euros para adultos e 4 euros para crianças entre 6 e 12 anos. Menores de 5 anos e deficientes físicos não pagam ingresso.
Importante: é aconselhável reservar a visita com antecedência, agendando-a por telefone (numero grátis 800.800907 ) ou preenchendo esse formulário aqui 
Como chegar lá: a fábrica fica no Viale San Sisto 207/C (San Sisto, Perugia). Saindo de Roma, percorra a rodovia A1 até Orte. Depois pegue a Orte-Terni e a estrada estatal SS E45 em direção Perugina. Pegar a saída Madonna Alta e prosseguir até San Sisto.

Outros passeios na região da Úmbria:

Gubbio: Úmbria medieval que encanta

Bate-volta Roma Orvieto: uma experiência inesquecível 

Credits: imagens de repertório Perugina. As fotos com a escrita post-italy.com são de autoria desse blog.

This article has 1 comment

  1. Vânia Romão

    Que graça de cidade Anelise!
    Agora, não vou negar que coloquei todo o meu foco no chocolate :D. Eu amo esse chocolate e raramente encontro na Suécia. Uma pena!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *