Booking.com
dicas de Capri
Ver

Mini guia de Capri: sonho possível entre vips, paparazzi e turismo de massa

Capri, um dos símbolos mais enfáticos da Dolce Vita. De um lado, uma ilha refinada, altiva. Um ícone do savoir vivre e reduto de famosos e paparazzi que torcem o nariz diante do turismo relâmpago. Do outro, visitantes que desembarcam em seu pequeno porto esperando conhecer em poucas horas as principais atrações da ilha. Com a mochila nas costas e munidos de um sanduíche pronto para ser devorado no almoço, muitos de nós pensam em explorar Capri na esperança de não desembolsar na ilha um salário inteiro.

Capri, Itália

Capri já “nasceu” chic, é verdade. Basta pensar que os imperadores Augusto e Tiberio não resistiram ao seu charme e construíram luxuosas residências na ilha. Escritores e intelectuais do calibre de Pablo Neruda hospedaram-se nesse lugar mágico e a sua piazzetta parece mesmo ter sido construída para ser o palco de rostos bronzeados, echarpes de seda e mocassins de camurça. A pequena praça não só um ponto de encontro para degustar um aperitivo, mas o lugar onde repetir o ritual de ver e ser visto. Quem não pensa em Capri e se lembra de personalidades como Brigitte Bardot ou nos atores de Hollywood?

Capri, Itália

Capri é sinônimo de elite, mas será que na ilha existe um turismo viável para a maioria de nós, mortais, algo que seja um meio-termo entre a Capri vip e aquela do turismo de massa? Nesse post vou dar algumas dicas e elencar algumas opções de hotéis, meios de locomoção e passeios em Capri.

Capri, Itália

Para chegar lá saindo de Roma: Muitos leitores perguntaram se um bate e volta saindo da capital até à ilha é factível. A resposta é sim, mas será bem corrido. Se a sua intenção é viajar de trem, vale a pena aproveitar a promoção Passxte que a Trenitalia lança em julho e inclui viagens ilimitadas pela península durante as 48 horas dos finais de semana. Dessa maneira, você pode tentar adquirir os bilhetes com os trens Frecce (os mais rápidos da companhia) com tarifas acessíveis.

Dica: Se quiser um passeio com tudo organizado, dê uma olhadinha no site da Get tour Guide, parceira desse site, que realiza diversos tours e passeios para Capri.

Fique de olho nos horários dos barcos antes de comprar a sua passagem ferroviária para encaixar direitinho os seus deslocamentos. Os barcos para a ilha saem do porto de Molo Beverello e de Calata Porta di Massa. Você pode escolher entre o traghetto (balso), nave veloce (navios rápidos) ou aliscaffo (lanchas velozes). O percurso dura entre 50 minutos e 1h20 e os preços oscilam de acordo com as companhias. Em linha geral, entre 14 e 22, 50 euros. As passagens podem ser compradas na hora, mas para reservas antecipadas consulte esse site aqui.

Se você viajar durante os meses de verão, compre já a passagem de volta e evite as longas filas que se formam diante das bilheterias. De carro, vale a pena sublinhar que os não residentes na ilha só podem desembarcar em Capri com o automóvel entre novembro e o período de Páscoa.

Capri, Itália

Locomovendo-se dentro de Capri: Capri ocupa uma superfície de 10 km2 e os seus dois “comuni” são Capri e Anacapri. Capri ocupa os arredores da Piazzetta e de Marina Grande, o ponto de chegada de traghetti, aliscaffi e navi, existe uma funicolare (teleférico) que a cada 15 minutos leva os visitantes até a Piazzetta. O custo do bilhete é de 1,80 euros. O táxi até lá custa cerca de 15 euros.

Capri, Itália

Anacapri fica mais no alto, aos pés do Monte Solaro (589 metros). É o ponto mais alto da ilha e pode ser visitado com a seggiovia que parte da Piazza Vittoria. O custo é de 11 euros por pessoa, ida e volta. De lá você poderá avistar belezas como a Penisola Sorrentina e o Golfo di Napoli. Se quiser ficar boquiaberto com a paisagem local, aproveite a subida para percorrer Via Capodimonte e conhecer Villa San Michele, a casa museu construída em 1885 pelo médico sueco Axel Munthe. O ingresso para visitar o local custa 7 euros.

Capri, Itália

Planejando um itinerário: Se a sua intenção é permanecer na ilha somente um dia ou poucas horas, não perca tempo e assim que desembarcar em Marina Grande compre o bilhete para o passeio de barco ao redor da ilha com parada na Gruta Azul (Grotta Azzurra). O preço é de 18 euros por pessoa mais 14 de ingresso para a gruta. Sim, o preço é salgado, ma so espetáculo é unico. Para quem não sabe, a Grotta Azzurra é um antigo ninfeu romano semi submerso pelo mar e descoberto pelo poeta e pintor August Kopisch em 1826.

Se quiser ir mais além, na ilha também são organizados mini-cruzeiros com direito a uma volta completa em Capri e paradas para banhos em alto mar. Consulte os sites www.capriblueboats.com e www.caprirelaxboats.com. Preços a partir de 18 euros (1 hora).

Dica: Se fizer o passeio até a Gruta Azul, em vez de perder tempo e voltar para o porto de Marina Grande, desça do barco perto das escadarias que ficam ao lado da gruta. De lá é possível pegar a linha de ônibus que leva os turistas até o centro de Anacapri.

Em Anacapri você conhecerá o lado mais tranquilo da ilha, com seus becos e praças decoradas por flores. Conceda-se o luxo de perder-se entre as ruas de Le Boffe, a sua parte histórica.

Capri, Itália

Da Piazza Vittoria, em Anacapri, você pode pegar a seggiovia até o Monte Solaro e, em seguida, visitar a Villa San Michele. Quem curte praia pode alugar um scooter (moto) e passar o resto do dia na direção do Faro di Punta Carena. Lá fica o histórico quiosque chamado Da Antonio al Faro, organizado com espreguiçadeiras e restaurante para esperar o por do sol em Anacapri. A distância entre Monte Solaro é o Faro di Punta Carena é de aproximadamente 3 km.

Quem preferir pode, da Piazza Vittoria, pegar o ônibus de volta para Capri que te deixará bem pertinho da Piazzetta. Desça a Via Vittorio Emanuele. Na sua frente cruzará com o Gran Hotel Quisisana, local onde morou por anos o magnata alemão Alfred Krupp. Foi ele quem ordenou a construção da espetacular Via Krupp, aquela com curvas sinuosas escavadas na rocha que liga Marina Piccola a Certosa di San Giacomo.

Continue caminhando pela Via Vittorio Emanuele, Via Serena e, em seguida, Via Matteotti, até chegar aos Jardins de Augusto (Giardini di Augusto), o parque público com terraços panorâmicos que oferece a melhor vista dos Faraglioni e da Via Krupp, fechada por perigo de deslizamentos. 

Dica: No período da Páscoa até novembro, os ingressos para os jardins de Augusto custam 1 euro (3 euros jardins e Certosa di San Giacomo).

Que curte um passeio mais mundano pode admirar as butiques de Via Le Botteghe, Via Camerelle e Via Fuorlovado.

Dica: Um luxo só é o sandalo caprese, as sandálias sob medida realizada na butique laboratório de Amedeo Canfora (Via Camerelle, 3, Capri). Os preços são salgados (a partir de 149 euros), mas vale a pena dar uma espiada na loja para ver de perto uma tradição 100% made in Italy.

Fugindo da rota do turismo de massa: Se você gosta de caminhar e quer fugir dos lugares repletos de turistas, calce sapatos confortáveis e enfrente um percurso de 45 minutos a pé para chegar até a magnífica Villa Lysis. Se trata de uma mansão, a antiga propriedade de Jacques d’Adelswärd Fersen, um barão francês que procurou refúgio na ilha para fugir dos escândalos que envolviam a sua imagem pública em sua terra natal. A residência foi construída em 1904 e ali Fersen viveu o seu amor com o jovem romano Nino Cesarini. Os ingressos para visitar Villa Lysis custa 2 euros e é impossível não ficar surpreendido com a opulência do local. A vista de Marina Grande é a parte mais espetacular.

Capri- Villa Lysis

Para chegar lá: Partindo da Piazzetta, percorra Via Longano e Via Sopramonte até Via Croce. Continue até Via Tiberio e Via Lo Capo. A Villa fica fechadas às quartas-feiras e em maio, setembro e outubro abre das 10h às 18h. Em junho, julho e agosto das 10h às 19h. Em novembro e dezembro das 10h às 16h.

Dica: Já que fez o esforço de caminhar até Villa Lysis, estique o passeio até Villa Jovis ou Villa di Giove (Júpiter), a antiga residência do imperador romano Tibério. Se trata do sítio arqueológico mais importante de Capri e existe uma trilha que une Villa Lysis e Villa Jovis. Os ingressos custam 4 euros. Grátis no primeiro domingo do mês. Fechada às terças-feiras.

Capri, Itália

Onde hospedar-se: Essas são algumas opções de acomodação com tarifas interessantes em Capri, mas considere que principalmente durante a primavera e o verão (entre maio e setembro) pode ser complicado encontrar hospedagem disponível na ilha. Pense seriamente em fazer a sua reserva com muita antecedência.

Suite Elegance Belvedere Capri Home Design: Próximo do centro de Capri e das ruas comerciais com acomodações graciosas e um terraço em comum com vista para o mar. Tarifas a aprtir de 180 euros.

Villa Sillia: Uma residência histórica situada a menos de 10 minutos da Piazzetta de Capri. Tarifas a partir de 204 euros em julho, alta estação.

Capri Wine Hotel: Construído no local que no passado abrigava uma indústria vinícola, possui ótima relação custo-benefício e terraço com vista do mar Tirreno.

Hotel Casa Caprile: Fica em Anacapri, no topo de uma colina, e nos anos 50 já hospedou até Vittoria Friedeich von Baden, uma rainha sueca. Preços abordáveis. Tarifas a partir de 65 euros.

Hotel Weber Ambassador: Para ninguém botar defeito mas muito procurado durante a alta estação. É preciso reservá-lo com muita antecedência para conseguir tarifas interessantes. Estrutura que no passado hospedeu Frank Sinatra. Preços a partir de 205 euros

Se não pretende dormir em Capri, para retornar ao porto basta pegar novamente a funicolare e mesmo que enfrente o calor e a aglomeração, lembre-se que em Capri até caminhar é um gesto feito com muita classe, é claro!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

468x60