Booking.com
Ravena, Itália: mosaicos bizantinos
Città d'ArteVer

Ravena: mosaicos, Dante Alighieri e uma insólita igreja com piscina

Ravena, na região da Emília-Romanha, é uma lugar que merece atenção especial. Hoje é uma cidade elegante e tranquila, mas no passado foi uma das protagonistas da história italiana. No século I a.C – sob o domínio do imperador Augusto – conquistou poder graças ao seu porto e a uma base naval.

Ravena, Itália: mosaicos bizantinos

Em 402 d.C, com o declínio do império romano, Ravena foi transformada na capital do império do Ocidente e conseguiu manter esse status até o VI século. A grande atração da cidade são os seus incríveis mosaicos realizados entre o período em que a cidade esteve sob o governo romano e, em seguida, bizantino.

Ravena, Itália: mosaicos bizantinos

Ravena é um bate e volta perfeito saindo de Bolonha. A distância entre as duas cidades é de cerca 84 quilômetros e um trem regional leva, em média, uma hora e meia para percorrê-la. Eu paguei a passagem de ida 7,35 euros e cheguei em Ravena cedo para aproveitar ao máximo as suas atrações.

Ravena, Itália: mosaicos bizantinos

Os mosaicos encontram-se em cinco monumentos: a Basilica di San Vitale, o Mausoleo di Galla Placidia, a Basilica di Sant’Apollinare Nuovo, o Battistero Neoniano e o Museo Arcivescovile com anexa a Cappella di Sant’Andrea. Se a sua intenção é aquela de visitar todos eles, o ideal é ir até o Ufficio del Turismo di Ravenna (Piazza San Francesco, 7) e comprar um ingresso único por 9,50 euros. Ali você também poderá retirar gratuitamente um mapa com indicações dos principais pontos turísticos da cidade. Você poderá percorrer a cidade inteira a pé porque as ruas são planas e as atrações concentram-se relativamente próximas uma das outras.

Ravena

Basilica di San Vitale – Nossa primeira parada foi na Basilica di San Vitale. O edifício mescla elementos da arquitetura ocidental e oriental e, em seu interior, basta levantar o olhar para o alto para entender que ninguém hesitaria em discutir o seu título de patrimônio mundial da humanidade pela Unesco.

É indispensável observá-la com atenção para capturar a riqueza de detalhes e a sua beleza estarrecedora. A precisão de cada imagem composta por minúsculos mosaicos é tanta que mais parecem pinturas. Os mosaicos da octagonal Basilica di San Vitale começaram a ser realizados em 526 e representam Cristo, San Vitale (São Vidal), anjos e o bispo que deu início à construção da basílica: Ecclesius.

Ravena, Itália: mosaicos bizantinos

Mausoleo di Galla Placidia – Ali pertinho fica o pequeno Mausoleo di Galla Placidia, filha do imperador Teodósio que deu muita “dor de cabeça” ao pai. Ela casou-se com um de seus sequestradores – o rei visigodo Ataúlfo – provocando a união entre a cultura romana e aquela bárbara. Provavelmente seus restos mortais não foram depositados no mausoleo, mas o interior do monumento fúnebre é ricamente decorado por um céu estrelado e flores estilizadas realizadas com mosaicos.

Ravena, Itália: mosaicos bizantinos

Battistero Neoniano – Esse é o monumento mais antigo de Ravena (século V) e leva o nome do bispo que ordenou a sua decoração. Fica nos arredores das ruínas de uma terma romana Um de seus principais mosaicos é aquele representando o batismo de Cristo.

Ravenna, Itália

Museo Arcivescovile e Cappella di Sant’Andrea – No interior do museu encontram-se diversos objetos de valor inestimável como um trono do século VI inteiramente esculpido em marfim e um calendário do século VI. No entanto, o que atrai a maioria dos visitantes é uma capela na forma de cruz grega totalmente decorada por mosaicos. Se trata de um dos exemplos de arte paleocristã mais bem conservados até hoje.

Ravena, Itália: mosaicos bizantinos

Basilica di Sant’Apollinare Nuovo – Nessa imponente basílica do século VI que leva o nome do primeiro bispo de Ravena encontram-se extensas faixas de mosaicos que mesclam a cultural oriental e ocidental. Inicialmente o edifício foi consagrado para o culto ariano, só que com a conquista bizantina foi adaptado para a liturgia cristã. Os mosaicos representam, principalmente, procissões de mártires e virgens e a sua beleza é tanta que distraía os fiéis. Segundo uma lenda, Papa Gregório, O Grande, teria ordenado que os mosaicos fossem escurecidos, evitando que os fiéis não se concentrassem no momento da liturgia.

Ravenna, Toma di Dante

Depois de uma imersão total nos mosaicos não deixe de conhecer outros dois monumentos símbolos de Ravena. O primeiro é a Tomba di Dante, o poeta florentino que depois de suas andanças pela Itália passou seus últimos anos de Ravena, onde morreu em 1321.

Ravenna, cripta con acqua

Nos arredores da Tomba di Dante Alighieri fica a Basilica di San Francesco. Essa igreja é famosa por sua cripta dos séculos IX-X. Parece inacreditável, mas como ela fica abaixo do nível do mar, o interior da cripta fica uma pequena piscina. Sua pavimentação é decorada por mosaicos e em suas águas nadam vários peixes que criam um ambiente único.

Itália, Ravena

Para encerrar o dia, fizemos uma pausa gulosa na Taberna Boaria (Via Mentana,33) e degustamos um classic da cozinha da Emília-Romanha: strozzapreti con salsiccia e sangiovese (linguiça e vinho tinto)

Como você pode contribuir com a atualização constante do Post-Italy.com? Contratando os serviços de nossos parceiros afiliados. Reservando qualquer hotel na caixa de busca do Booking.com presente aqui no site sem pagar nada a mais por isso, comprando antecipadamente aqui os ingressos para os principais monumentos italianos com a nossa parceira Get your Guide ou adquirindo ingressos para shows nos banners que você encontra na lateral direita do site. Obrigada!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *