Blog sobre viagens e turismo na Itália.
Booking.com
Risiera di San Saba em Trieste
Ver

Risiera di Saba em Trieste: para não esquecer as vítimas do Holocausto

Era uma noite como outra qualquer. Hora do jantar. Família reunida ao redor da mesa. TV sintonizada no jornal das 20h. Foi a primeira vez que minha filha – na época com 11 anos – escutou a expressão Dia da Memória das Vítimas do Holocausto, em italiano, Giornata della Memoria.

Risiera di San Saba, Trieste

O dia 27 de janeiro coincide com a libertação dos prisioneiros de Auschwitz, data escolhida pela ONU, em 2005, para lembrar as vítimas.

Risiera di San Saba, Trieste

Diante das cenas da TV, as perguntas surgiram espontaneamente e as respostas não poderiam não conter palavras amargas.

Risiera di San Saba, Trieste

Ofereci a ela uma cópia de O diário de Anna Frank, quase na certeza que talvez a leitura do volume fosse prematura. Depois pensei bem e cheguei a conclusão que “não”, que a melhor maneira de evitar que tamanha crueldade se repetisse era sentir o peso, a densidade de cada página.

Risiera di San Saba, Trieste

Imaginei que se Anna ainda fosse viva provavelmente ficaria feliz ao ver tantas outras crianças interessadas em conhecer a sua história, mas confesso que achava que depois de algumas páginas o destino do livro fosse novamente a estante.

Risiera di San Saba, Trieste

Errei. Ela terminou o livro e hoje, toda vez que passamos diante da Sinagoga de Roma ou circulamos pelo gueto judaico ela sabe bem o que esses lugares significam.

Risiera di San Saba, Trieste

Assim como outras cidades europeias, diversos lugares de Roma e de outras cidades da Itália estão ligados à violência nazista. Um dos mais emblemáticos é a Risiera di San Saba, em Trieste.

Risiera di San Saba, Trieste

Foi nessa cidade do norte da Itália que em 1938 Mussolini anunciou as leis raciais (leggi razziali). Com a conivência de intelectuais, os judeus foram excluídos da vida pública e a exaltação do ódio racial atingiu o seu ápice.

Risiera di San Saba, Trieste

Nos escritórios e nas escolas, as escrivaninhas e bancos ocupados por judeus ficaram vazios, enquanto homossexuais, ciganos e pessoas com deficiência física também eram perseguidas. No coração de uma Europa que se declarava civilizada o antissemitismo não só era legítimo, mas imposto.

Risiera di San Saba, Trieste

Originariamente, a Risiera di San Saba era um complexo utilizado desde 1898 para a transformação do arroz, mas durante o período de ocupação nazista foi uma prisão para militares italianos e, em seguida, um Polizeihaftlager.

Risiera di San Saba, Trieste

Ali eram separados os judeus deportados para a Alemanha e para a Polônia, armazenados os bens confiscados às vítimas e eliminados todos os opositores do Fuhrer, judeus e prisioneiros políticos.

Risiera di San Saba, Trieste

A Risiera de San Saba fica na periferia de Trieste e, obviamente, é um lugar que não te deixa indiferente. Em silêncio e sob um céu cinza, percorremos ambientes como o laboratório de costura e a sapataria.

Risiera di San Saba, Trieste

Passamos pelos quartos reservados aos oficiais nazistas e pelas micro celas nas quais permaneciam até seis pessoas. Cruzamos com uma sala reservada a torturas e com a “cella della morte”, ambiente nos quais os prisioneiros eram detidos e, depois de poucas horas, cremados. Um percurso subterrâneo unia o forno a uma chaminé e ambos os ambientes foram destruídos pelos próprios nazistas, em 1945, para eliminar as provas de suas atrocidades. Calcula-se que entre 3 e 5 mil pessoas foram assassinadas na Risiera.

Risiera di San Saba, Trieste

Com o fim da guerra, a Risiera acolheu refugiados e em em 1965 foi declarada patrimônio nacional pois é a memória do único lager nazista na Itália. Uma visita até a Risiera seria obrigatória para criar anticorpos contra a indiferença, contra todos aqueles que fazem apologia ao nazismo, em praças ou nos estádios, ou contra todas as figuras públicas que declaram, como aconteceu recentemente na Itália, que a “raça branca” corre risco de extinção.

Risiera di San Saba, Trieste

No pátio da Risiera encontramos outros jovens, herdeiros dessa missão árdua de transmitir a memória. O céu cinza cede espaço ao sol  que se abre, como um sinal de bem-vindo às gerações futuras.

Risiera di San Saba: Via Giovanni Palatucci, 5 (Trieste). Aberta de segunda a domingo das 9h às 19h. Ingresso gratuito. Fechada nos dias 1 de janeiro e 25 de dezembro. Abertura limitada nos dias 24 e 31 de dezembro.

Leia também outros posts sobre a região do Friuli Venezia Giulia e programe a sua viagem para lá!

Molo Audace em Trieste e as jovens que costuram bandeiras italianas

Castello di Miramare em Trieste, o monumento mais fotogênico da cidade

Palmanova, a cidade na forma de estrela e repleta de simbolismos

Gorizia, a Itália de fronteira a poucos passos da Eslovênia

Canal Grande em Trieste, o ponto mais badalado da cidade amada por James Joyce

EVITE FILAS COMPRANDO INGRESSOS ANTECIPADOS

Uma maneira legal de retribuir o Post-Italy.com por todas as informações e dicas que você encontra aqui é comprar antecipadamente, online, os seus ingressos com o nosso parceiro, a Get your Guide. É rápido, em português e você recebe os vouchers diretamente por em-mail. Todo mundo sai ganhando e você evita filas em qualquer cidade da Europa! Você pode dar uma olhada na página da Get your Guide ou nos links aqui embaixo, com algumas da principais atrações italianas.

Esse blog só existe graças à colaboração de cada um dos leitores. Por isso, se você realizar a sua reserva através dos links do Booking aqui no Post-Italy.com, a plataforma repassa uma pequena comissão para nós e você paga menos pelo seu hotel. Você apoia o nosso site e já sai do Brasil com tudo programado.

Booking.com 

SEGURO DE VIAGEM

Ninguém merece imprevistos durante uma viagem. Compare preços e reserve também o seu seguro de viagens, evitando qualquer perrengue durante a sua permanência no exterior.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *