Páscoa na Itália
Diário

Saiba como é a Páscoa na Itália

Além do seu significado religioso e folclorístico, evidenciado principalmente nas representações sacras de origem medieval, Páscoa na Itália é o início de um período de renovação.

Como a data coincide com o chegar da primavera, é o momento de começar a aproveitar as horas de sol, organizar piqueniques e passeios ao ar livre, tirar a bicicleta da garagem, plantar flores e hortaliças, comer queijo de ovelhas com favas, vestir roupas mais leves, fazer uma grande faxina na casa e evitar excessos de calorias, já pensando no biquíni que usaremos no verão.

As crianças costumam ter uma semana de férias da escola e quem pode aproveita para viajar no feriado prolongado da segunda-feira, aqui chamada de Pasquetta, ou lunedì dell´angeloEsse ano, no entanto, a atmosfera é diferente.

Depois dos últimos atentados de Bruxelas, a tensão é alta na Europa inteira e é impossível deslocar-se nas estações ferroviárias ou aeroportos sem disfarçar olhares de desconfiança.

A Itália reforçou o policiamento, o controle de atividades de proselitismo via web e adotou novas medidas de segurança nos principais pontos de aglomeração do país e nas redes de transportes públicos. Quem circula pelos metrôs encontra sempre militares armados com metralhadoras.

A atenção é máxima, mas o chamado risco zero não existe. Até o presidente da Ferrovia dello Stato, Renato Mazzoncini, declarou que não há nenhuma maneira de garantir totalmente a incolumidade de quem viaja.

Um dos temas mais discutidos pelos líderes europeus é a possibilidade de uma resposta comum de todos os estados membros da UE ao terrorismo, incluindo a sinergia entre serviços de inteligência.

Em Roma, a atenção será redobrada durante a tradicional Via Crúcis, prevista para a próxima sexta-feira, e durante a missa realizada na Praça São Pedro no domingo de Páscoa.

No domingo de Ramos estivemos na Basílica de São João de Latrão e notei que agora, para entrar na igreja, é necessário superar os controles pelo detector de metais.

Quem prefere ficar em casa aproveita para curtir a família e, como não poderia deixar de ser, caprichar na preparação de pratos típicos que não faltam  na mesa dos italianos nesse período. Depois de 40 dias de quaresma, os italianos voltam a cozinhar pratos ricos com muito prazer.

Além da colomba, que todos nós conhecemos, cada região italiana possui suas tradições culinárias mas em quase todas existe o ritual de preparar tortas doces e salgadas e de cozinhar pratos a base de carne de cordeiro.

Na Campania, por exemplo, os protagonistas da Páscoa são a pastiera di grano, doce a base de ricota, trigo e frutas cristalizadas – e o casatiello, uma torta rústica salgada a base de salame e ovos.

Na Ligúria um dos pratos principais no dia de Páscoa é a chamada torta pasqualina, salgada e com recheio de ricota, espinafre ou outro tipo de verdura e ovos inteiros.

Já na região da Toscana prepara-se a schiacciata e também degusta-se os deliciosos cantuccini, biscoitos de amêndoas embebidos no Vin Santo, o vinho doce que leva esse nome porque as uvas, colhidas meses atrás e colocadas para secar, estão prontas para serem vinificadas no mês de março, em proximidade da Páscoa.

Na Sicília, os doces são inúmeros como a cassata, ou os cannoli com ricota e frutas cristalizadas. Na Sardenha, não faltam as seadas, um doce não doce, a base de queijo, frito e coberto de mel.

Como deu para perceber, para os italianos a vida é muito curta para renunciar à boa comida!

 Leia também: 

Páscoa em Roma: onde assistir a tradicional Via-Crúcis 

Procurando hospedagem? Reservando qualquer hotel aqui no Post-Italy.com, a partir dessa caixa de busca, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nem um centavo a mais por isso. Assim você colabora com o site e eu agradeço!



Booking.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *