Booking.com
Informações práticasSexto Sentido

20 características que transformam Roma em uma cidade única (no bom e no mau sentido!)

1.Querendo ou não, Roma é a cidade dos chamados “palazzi del potere” (palácios do poder).  Aqui concentram-se instituições, órgãos e autoridades públicas e, para alguns romanos, o nepotismo é considerado algo inevitável ou quase fisiológico. Fica complicado estabelecer fronteiras nítidas entre política e vida privada e essa máxima não vale só para a alta sociedade. Até os concursos para vagas de “gari” ou coletor de lixo acabaram sob os refletores da mídia por causa de supostas irregularidade

2. Roma é a cidade das praças – verdadeiras “salas de estar” ao ar livre – e isso comporta pausas estratégicas para um café ou mais tempo para, simplesmente, sentar e ver a vida passar.

3. Por ser uma capital repleta de vestígios arqueológicos, Roma não oferece o melhor sistema de transporte público europeu. Para se ter uma idéia, a cidade registra a presença de 978 carros para cada mil habitantes, o dobro da taxa de Paris e quase o triplo daquela de Londres.

4. Nem só de centro histórico vivem os romanos. Assim com Paris tem suas banlieus, Roma também é feita de periferias. Aproximadamnete 400.000 pessoas vivem além do anel viário da capital.

5. A capital italiana possui mais de 900 igrejas e também abriga em seu território o Estado Vaticano. Em prática, além de cruzarmos frequentemente com freiras no meio do trânsito ou com sacerdotes no metrô, essa concentração comporta uma grande influência da igreja na esfera pública. Vocês sabiam que 0,8% do imposto sobre os rendimentos de cada cidadão italiano é destinado ao Estado ou a uma instituição religiosa e que a maior parte desses recursos é destinado à igreja católica?

6. Roma é uma das capitais européias com o melhor clima possível. Os italianos costumam dizer que “Roma ha un clima mite”, ou seja, com pouca excursão térmica, temperatura média agradável, muitos dias de sol e um inverno pouco rigoroso, além de uma luz alaranjada linda no fim do dia. Obviamente, isso colabora com a extroversão desse povo.

7. Trata-se de uma metrópole democrática. Vira e mexe a cidade eterna transforma-se em palco de manifestações, protestos e passeatas de todos os tipos. Nessas ocasiões, o trânsito é desviado e os romanos, apesar de reclamarem, acostumaram-se com toda essa movimentação.

8. Pode parecer um paradoxo, mas em Roma existem poucos “romanos doc”. A cidade sempre acolheu de braços abertos emigrantes de outras localidades do país e também é repleta de imigrantes de segunda geração, ou seja, filhos de estrangeiros que, por exemplo, possuem olhos puxados mas nasceram e cresceram na capital e falam perfeitamente o “dialetto romanesco”.

9. A propósito de “romanesco”, saibam que esse “dialetto” irônico e insolente reflete perfeitamente o gênio dos romanos. Para indicar uma pessoa careca, por exemplo, os romanos usam a expressão “er maiolica” (o azulejo).

10. Morar em Roma significa poder sair a noite para passear sem destino por seus becos estreitos, recobertos de “sanpietrini” (paralelepípedos), evitando a motos estacionadas nas calçadas, e voltar para casa tarde, inebriado pelo aroma de croissant que as docerias deixam no ar.

11. O turismo é uma fonte de receita importante, mas também causa transtornos na cidade. Dificilmente os romanos conseguem curtir, por exemplo, um momento a dois diante da “Fontana di Trevi”. Para saborear um espresso em uma cafeteira famosa no centro ou bater uma foto é preciso acotovelar-se com tantos estrangeiros. Além disso, imaginem como é complicado administrar o turismo de massa em situações como a canonização de um Papa. Para não falar nas despesas para limpar a cidade nessas ocasiões.

12. Dirigir em Roma requer paciência e habilidade. Não é fácil desviar dos inúmeros carros estacionados em fila dupla ou evitar discussões com quem desconhece a utilidade das faixas de pedestres.

13. Morar na cidade eterna significa descobrir, a cada esquina, algo que nunca havia reparado antes ou cruzar, inesperadamente, com um muro ou aqueduto erguido mais de dois mil anos atrás.

14. Ser romano significa encontrar pelas ruas muros pichados com frases neonazistas ao lado de declarações de amor.

15. Armar-se de muita paciência para fazer uma reclamação nos correios, disputando um lugar na fila entre dezenas de aposentados. O pior de tudo: saber que o resultado dessa peregrinação será deslocar-se para outra sede dos correios ou falar com outro responsável. Tudo iso para receber as faturas de suas contas, em casa, provavelmente já vencidas.

16. Ser romano é comprar o jornal preferido em base à própria orientação política, lê-lo sentado em um bar enquanto saboreia um espresso e lançar um olhar de desprezo para quem, entra pela porta trazendo debaixo do braço o “quotidiano” com orientação oposta.

17. A cidade onde também existe o “jeitinho”, que aqui pode ser traduzido com o provérbio : “fatta la legge, trovato l’inganno”, algo como “toda lei tem sua brecha).

18. Roma é a capital capaz de anular qualquer plano revolucionário. Não há politico que resista a ternos feito sob medida, poltronas de couro e a “bella vita” da cidade eterna.

19. Morar em Roma significa encontrar homens bem vestidos, perfumados e com óculos de sol de grife sem por isso suspeitar que eles são homossexuais.

20. Enfim, para quem vive aqui, apesar de tudo, Roma será sempre melhor que Milão…

This article has 1 comment

  1. Marcia

    Mt bom o post. Adoro Roma e alguns defeitos deixo passar. Não conheço Milão, mas Roma com ctz é melhor. hahaha

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *