CulturaVer

Sampietrini, os protagonistas das ruas romanas

Um das principais características da cidade eterna é a pavimentação a base de paralelepípedos que recobre muitas das ruas do centro histórico de Roma.

Nas fotos que seguem observem como eles são.

Para os habitantes da capital, eles são uma autêntico símbolo de romanidade.

Para as mulheres que nunca renunciam à elegância de um salto alto, um verdadeiro antagonista. Tente caminhar sobre eles com um salto agulha e entenderá que a classe não é água.

O mesmo vale para os inúmeros motociclistas que todos os dias desafiam os paralelepípedos que, com o passar dos anos e o desgaste das pedras, podem representar um perigo.

Esse tipo de paralelepípedo romano é chamado de “sampietrino”, mas você sabe porque ele recebeu esse nome­?

O nome nos traz em mente San Pietro mas, especificamente, indica o operário responsável pela manuntenção da Basílica de São Pedro; uma igreja capaz de receber 20 mil fiéis e que graças a sua imponente dimensão exige cuidados especiais.

A partir de 1505, durante o pontificado de Papa Giulio II della Rovere, foi definitivamente iniciado o período de construção da Basílica.

Para administrar a gigantesca obra e lidar com diversos projetos, foi instituída a chamada Fabbrica di San Pietro.

Imaginem a dificuldade para recrutar mão de obra especializada e lidar, simultaneamente, com gênios como Rafael, Michelangelo e Giacomo Della Porta, só para citar alguns dos grandes artistas que colaboraram com a construção da Basílica.

Foi por volta de 1664 que Nicola Zabaglia, um excelente pedreiro que participava do projeto, deu o nome de “sampietrini” aqueles trabalhadores como marceneiros, restauradores, pintores e ferreiros, entre outros, que faziam parte do projeto de construção dessa obra monumental.

Atualmente, cerca de oitenta profisisonais fazem parte do time dos “sampietrini” que dedicam-se, entre outras atividades, à manutenção, vigilância, limpeza  e inspeção da Basílica.

São eles, por exemplo, que certificam-se que nenhum fiel permaneça dentro da igreja depois do fechamento cotidiano de suas portas.

Sampietrini também são aqueles profisisonais que restauram e preparam as obras de arte, que lustram as esculturas de bronze, inspecionam os dez mil metros quadrados de mosaicos da Basílica ou preparam a igreja antes de datas importantes como a Páscoa, Natal, a festa em homenagem à São Pedro e à São Paulo (29 de junho é feriado na cidade), padroeiros de Roma e em ocasiões de canonização.

 

 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *