Villa Adriana em Tivoli
Conselhos de bate-volta

20 incríveis programas de bate-volta saindo de Roma

Para quem já conhece as principais atrações de Roma ou para aqueles que pretendem conservar pelo menos um dia de sua própria permanência na cidade eterna para explorar outras maravilhas do Lácio ou de regiões situadas a uma distância média, as possibilidades de um bate-volta são inúmeras.

Bate-volta saindo de Roma

Como aproveitar ao máximo essa chance? Com um pouco de organização tudo fica mais fácil. Seja qual for a sua preferência – um passeio cultural, arqueológico, naturalístico – o seu orçamento ou meio de transporte preferido, sempre haverá um bate-volta que combine todos esses critérios.

Bate-volta saindo de Roma

AnagniA cidade natal de quatro Papas é conhecida por aquela que é considerada a “capela sistina medieval” e por ter sido palco de diversos episódios citados na Divina Comédia, de Dante Alighieri. Para chegar lá, de Roma Termini pegue o trem até a estação Anagni-Fiuggi. A passagem custa 4,10 euros, só ida.

ViterboA cidade foi um centro etrusco até ser dominada pelos romanos a partir do século IV a.C. Conserva um centro histórico medieval bem preservado, San Pellegrino, um Duomo construído no século XII e o Palazzo Papale que foi sede do Conclave mais longo de toda a história. Em Viterbo também acontece a procissão em homenagem à Santa Rosa. Sua imagem é colocada sobre uma plataforma carregada nas costas por vários homens durante uma procissão. De Roma Ostiense, a passagem de trem até Viterbo Porta Romana custa 5,10 euros (só ida) e o percurso dura cerca de 1h45.

Bate-volta saindo de Roma

Castel Gandolfo: A cidade de veraneio dos Papas é um dos burgos mais belos da Itália. Situada na zona conhecida como Castelos Romanos, é circundada pelo belíssimo Lago di Albano e, durante o verão, é meta de amantes de esportes aquáticos. Aproveite e agende uma visita ao Palácio Pontifício de Castel Gandolfo e para conhecer de perto os aposentos papais. De Roma Termini, o trem regional chega até lá em cerca de 45 minutos. A passagem custa 2,10 euros só a ida.

Bate-volta saindo de Roma

Villa Adriana: Em Tivoli, Villa Adriana é um complexo monumental classificado como patrimônio da humanidade pela Unesco. Era uma espécie de mansão de veraneio do imperador Adriano e ainda hoje conserva as ruínas e alguns dos elementos mais belos da villa, como o chamado Canopus, cercado de estátuas. Villa Adriana fica a 6km de Tivoli e para chegar lá da estação ferroviária de Roma Tiburtina pegue o trem regional até Tivoli e, em seguida, o ônibus número 4 da linha Cat.

Opções de bate-volta de carro

Civita di Bagnoregio: Um dos vilarejos mais pitorescos da região, Civita di Bagnoregio é conhecida como “a cidade que morre” por causa dos deslizamentos de suas encostas de argila e calcário e pela erosão. Fica a cerca de 130 km da capital, no alto de uma colina, e o único elemento que une o burgo até o vilarejo de Bagnoregio é uma ponte de cerca 300 metros que só pode ser percorrida por pedestres.  A maneira mais confortável de chegar lá é de automóvel.

Bate-volta saindo de Roma

Villa d´Este: Ainda em Tivoli, Villa d´Este é uma suntuosa residência renascentista, famosa por seus jardins e fontes monumentais, como aquela do órgão. O efeito é cenográfico demais! Para chegar lá, alugue um carro com o nosso parceiro, a Rentcars, ou da estação Ponte Mammolo (linha B do metrô) pegue o ônibus da empresa Cotral que faz o trajeto até lá. Passagem: 2 euros.

Bate-volta saindo de Roma

Anzio: Essa cidade do litoral é a terra natal do imperador Nero e uma de suas praias principais ainda hoje conserva vestigíos de sua passagem por lá, como uma vasta área de armazéns portuários hoje conhecidos como Grotte di Nerone (Grutas de Nero) e uma luxuosa residência imperial com vista para o mar. A melhor maneira de chegar lá é de automóvel. Você pode comparar as melhores tarifas para alugar um carro na Itália, consultando o site da RentCars, nosso parceiro.

Bate-volta saindo de Roma

Greccio: Esse é o vilarejo onde São Franciso de Assis criou o primeiro presépio de toda  a história do Cristianismo. Ainda hoje é um santuário e um lugar de muita paz. Ao visitar Greccio, a sensação é aquela de pisar em um território de eremitas. A maneira mais confortável de chegar lá é de automóvel.

Bate-volta saindo de Roma

Sermoneta e os Jardins de Ninfa: Dois lugares encantados. Sermoneta, na provícia de Latina, é um ótimo começo para um tour medieval com direito a um castelo do século IX que pertenceu à família Caetani, do Papa Bonifacio VIII. Combine a ida até lá com um passeio até o Giardino di Ninfa, jardins que mais parecem um quadro impressionista de Monet.

Bate-volta saindo de Roma

Calcata: Estilo e charme não faltam ao vilarejo conhecido por sua alma hippie. Um burgo medieval da província de Viterbo que parece isolado do mundo. Como nos caso das outras cidades citadas acima, para visitar Calcata prefira o carro.

Nemi: Na zona dos Castelos Romanos, Nemi e o seu lago foram os territórios escolhidos pelo imperador Calígula para festas e bacanais organizados em navios. A cidade conserva o Museo delle Navi Romane e também é famosa por seus morangos silvestres.

Bracciano: Além do lago, meta procurada pelos romanos durante o verão, Bracciano também é famosa pelo Castello Odescalchi, um dos mais majestosos da região do Lácio.

Bate-volta de trem até cidades na Úmbria:

Gubbio: A “cidade dos loucos”, das trufas, da maior árvore de Natal, de um centro histórico transformado em cenário de série de TV. Gubbio é sempre uma ótima pedida para um bate-volta. Para chegar lá de trem a viagem dura cerca de 2h30 e o preço da passagem até Fossato di Vico-Gubbio é de 11,80 euros.

Bate-volta saindo de Roma

Orvieto: Só o Duomo de Orvieto já vale uma visita até lá, mas nessa cidade você também pode conhecer lugares incríveis como o Pozzo di San Patrizio, com 62 metros de profundidade, e percorrer suas graciosas ruelas. Para chegar lá, a passagem de trem saindo de Roma Termini custa 8,15 euros e a viagem dura cerca de 1h20.

Bate-volta saindo de Roma

Spoleto: Essa cidade entrou para a lista de patrimônios da humanidade da Unesco e organiza um dos eventos culturais mais importantes da região: o Festival dei Due Mondi.  A passagem de trem até lá custa 8,85 euros.

Bate-volta com transfer e acompanhante em português:

Florença (Firenze), Cássia, Assis e Capri: Claro que a cidade símbolo do Renascimento e as outras mereceriam uma viagem inteira, mas se o tempo for pouco e não quiser perder a oportunidade de conhecer pelo menos algumas das principais atrações de Florença e das outras cidades citadas acima, organizamos um bate-volta redondinho até lá, saindo de Roma. Para mais informações, escreva para postitalyblog@gmail.com

Hotéis com ótima localização nos arredores da Piazza della Repubblica e Piazza Barberini:

Hotel Artemide

Alpi Hotel

Una Hotel Roma

Hotel Milton Roma

Hotel Mozart

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *